Notícias

Vôlei sub-13: Jemvi conhece as primeiras escolas campeãs da 50ª edição

Publicada em 26/09/2022, às 19h00 | Atualizada em 26/09/2022, às 19h06

Por Brunella França (blfrancaeira$4h064+pref.seme.vitoria.es.gov.br), com edição de Andreza Lopes


  • Educação de qualidade

Brunella França
Final vôlei feminino
Final do vôlei feminino. (ampliar)
Brunella França
Final vôlei masculino
Final do vôlei masculino. (ampliar)

Uma tarde de muitas emoções, pontos disputados, jogos com direito a set desempate e equipes acreditando no título até o último minuto. Na categoria sub-13 do vôlei feminino e masculino, os Jogos Escolares Municipais de Vitória (Jemvi) têm as duas primeiras escolas campeãs.

Entre as meninas, a conquista ficou com a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Otto Ewald Júnior, de Itararé, com a Emef em tempo Integral Izaura Marques da Silva, de Andorinhas, na segunda colocação.

"Não sei nem como falar direito, é muito legal estar aqui. A gente se divertiu, gostamos muito", disse a estudante e capitã da Emef Otto Ewald, Lara Souza. Para a professora Nazian Simões, o Jemvi tem um significado muito especial.

"É uma forma dos estudantes interagirem, conhecerem novos colegas, é um espírito de diversão, mais do que de competição. Um evento como esse é uma conquista para os estudantes", celebrou.

Capitã da equipe que ficou com o segundo lugar, a estudante Nina Maria Gavazza já está ansiosa pela edição do ano que vem! "Muito emocionante, fico muito feliz. A sensação de representar a escola é muito boa. A gente começou a treinar e soubemos pelo professor Júlio que teriam os jogos e que iríamos participar. Ano que vem vou querer jogar de novo!"

Professor da Emef Izaura Marques da Silva e treinador da equipe, Júlio Roxo destacou o esporte como uma ferramenta educacional. "Um evento desse é uma ferramenta de educação, o esporte é uma ferramenta de educação. A gente entende que precisamos retomar esse tipo de atividade e ampliar para que a garotada possa vivenciar outras experiências, de convivência positiva entre os estudantes", afirmou.

Final equilibrada

Já entre os times masculinos, uma disputa ponto a ponto fez as equipes levarem o jogo até o set desempate. Em um belo rali, com chances de ambos os lados, a Emef Orlandina D'Almeida Lucas, de São Cristóvão, conquistou a medalha de ouro. A prata ficou com a Emef Vercenílio da Silva Pascoal, de Joana D'Arc.

Capitão do time campeão, o estudante Yago Felipe Madeira era só sorrisos e orgulho ao receber a medalha de ouro. "É muito bom, é melhor ainda porque é o nosso esforço. É um treinamento pra gente chegar e ser campeão. A primeira vez que a gente joga o Jemvi, é uma grande felicidade ser campeão. Vamos, ODL!", comemorou ele.

A treinadora da equipe é a professora de Ciências e entusiasta da prática esportiva Marina Castro. "Esse é um trabalho que faço voluntário, é muito gratificante ser professora e treinadora, estar com esses meninos que têm uma inteligência corporal e esportiva que precisa ser valorizada. Eu tenho muito orgulho deles!"

Para a professora e técnica Fernanda Santos, do time da Emef Vercenílio da Silva Pascoal, escola segunda colocada, fica a alegria de ter participado da competição e chegado com o time até a final. "A gente sempre participa, temos tradição no jemvi. Estamos treinando, os meninos estão empenhados, e eles estão tendo um bom rendimento. Conseguimos chegar à final, mesmo sendo a primeira experiência de muitos deles. Estou orgulhosa, sou treinadora e torcedora".

Jemvi 2022: finais do Vôlei

Próxima final

Na quarta-feira (28), a rede municipal de ensino conhecerá o time campeão na modalidade futsal feminino, categoria sub-13. As Emef Alvimar Silva, de Santo Antônio; Anacleta Schneider Lucas, da Fonte Grande; Éber Louzada Zippinotti, de Jardim da Penha; e Francisco Lacerda de Aguiar, de São Pedro estão na disputa pelo título.

O time campeão e o segundo colocado de cada categoria são premiados com medalhas de ouro e prata, além de troféus.

Como são os jogos

A 50ª edição do Jemvi tem nove modalidades em disputa: Futsal, Handebol, Basquete, Voleibol e Queimada; Atletismo (corrida de 100m; salto em distância; arremesso de peso e corrida de revezamento 4x100m); Xadrez; Dama e Tênis de Mesa.

Os jogos têm o objetivo de valorizar as experiências de estudantes e professores nas aulas de Educação Física e promover vivências do esporte como espaço social e cultural, em que os sujeitos envolvidos possam ampliar as oportunidades de conhecimento, interação, colaboração, solidariedade e prazer de praticar esportes.

O evento faz parte do Festival de Linguagens Integradas e está dentro do calendário de atividades que celebram o aniversário de Vitória. As partidas começaram na terça-feira, dia 20 de setembro, com o voleibol, e seguem até 23 de novembro, quando disputas de tênis de mesa encerram o evento. A cerimônia de encerramento está marcada para o dia 06 de dezembro.

Jemvi

Constituídos historicamente como uma ação pedagógica, os Jogos Escolares Municipais de Vitória (Jemvi) são direcionados a todas as Emef de Vitória, para adolescentes e jovens do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, além dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A competição escolar acontece desde 1971. Em sua primeira edição, a ideia era promover uma disputa entre duas unidades de ensino. Uma proposta então foi apresentada à Secretaria Municipal de Educação, com a ideia de que a disputa contemplasse todas as escolas da rede municipal, que na época contava com nove unidades de ensino. Atualmente, Vitória tem 54 escolas de ensino fundamental.


Voltar ao topo da página